Volto Já!

Oi, gente! Tudo bem?

Tô sumida, né? Eu sei.

Como todo mundo – ou a maioria das pessoas – comecei o ano com várias metas e “planos de ação” traçados. Não são muitas coisas, mas exigem tempo e disciplina para que deem certo. Estou focando na reeducação alimentar, em cursos online voltados para a área que estudo (publicidade e propaganda) e em melhorar o meu inglês, que não é ruim, mas como estudo sozinha, preciso aprimorá-lo. São coisas simples, mas que preciso mirar e atirar. Preciso passar horas estudando todos os dias, por exemplo, além de ajudar em casa, já que ainda não trabalho. Por isso ainda não consegui fazer post esse ano, por estar seguindo um cronograma que criei. Então vim explicar o por que de não estar mais postando e anunciar que as postagens aos sábados não serão mais frequentes como eram no ano passado.

Se fazendo essas coisas nas férias não estou conseguindo tirar um tempinho para preparar post, imagina só quando as aulas voltarem (próxima quarta) que é quando os trabalhos, stress e noites sem dormir voltarão a fazer parte da minha vida. Mas ainda que não haja frequência, os posts não pararam; sempre que tiver um tempinho prepararei um post pra vocês, com toda certeza.

Espero que entendam, pois estou fazendo isso por conta dos objetivos que tenho. Estou correndo atrás das coisas que quero, sabe? Me dedicando e tentando melhorar no que eu puder… Faça o mesmo, tá? Trace objetivos e lute para realizá-los. Não se limite só porque dizem (assim como dizem pra mim) que seus sonhos são grandes e loucos. Voe.

V-O-E.

E se determinar o céu como limite, quando o alcançar, ultrapasse-o.
Faça isso por você.

Até a próxima.  😉

Um beijo!  ;*

 

Eu indico: The Get Down

Olá povo lindo!

Eu assisti essa série em agosto e já quis escrever sobre, mas acabei deixando passar o tempo e não indiquei, mas o que importa é que eu estou aqui agora e vou falar o porque amei The get down, principalmente depois de assistir de novo.

ad0d5bf4d96d42fecc18274eb300c49bUma série musical da Netflix, criado por Bar Luhrmann. Pela imagem acho que podem perceber que é ambientada na década de 70 lá cidade de Nova York, época que a cidade passava por crise e falência, principalmente no bairro do Bronx, onde a criminalidade entre os jovens crescia e as minorias “se refugiavam” e eram marginalizadas.

No meio disso, um movimento musical entre os jovens negros – maioria dos moradores do Bronx –  passou a ter ascenção, conhecido como o hip-hop, acabando com a “era” da Discoteca. The get down tem uma relação com a vida urbana de NY, apresentando a cultura onde os personagens vivem, com muita dança, musica, arte, grafite, diferença de classes e sobre a politica na cidade nessa década.

689ad6926307569677fa3a1eda08e07d

Eu não quero dar spoiler de nada, então o que irei escrever são pontos que não vão atrapalhar vocês quando forem assistir. Uma curiosidade é que essa é a produção mais cara do Netflix até hoje, mais do que The Crow (que eu amo também).

A série aborda temas dramáticos, como consumo drogas, conflitos entre famílias, gangues da época, religião, descoberta sexual, a luta de quem quer uma vida melhor, o amor por musica, por expressar sentimentos, independente do estilo musical ou da arte…

Eu não gosto de hip-hop, por que eu deveria assistir? De fato a serie aborda a historia do grupo de hip-hop e o nascimento desse estilo musical, mas não é só isso. Nova York é um simbolo de economia e segurança hoje em dia, mas se você parar e pesquisar um pouco sobre a vida na cidade anos atras, o cenário é outro. A série não trata disso como uma comedia de Todo Mundo Odeia o Chris, o racismo até hoje é presente, imagina 30 anos antes, em uma cidade a beira de ruínas.

Acho que vale a pena assistir, pois é muito bem feita, o roteiro as vezes pode ser confuso para algumas pessoas, a linguagem usada é muito poética, diria até um estilo Shakesperiano (tipo o filme do Romeu e Julieta com o DiCaprio), meio longo e mesmo tendo apenas 13 episódios – primeiro episodio tem quase duas horas, os outros em torno de uma hora-, pode ficar arrastado alguns momentos, então não sugiro fazer maratona – . A série é legal para assistir aos poucos, absorvendo a historia contada.

Tenho que elogiar a fotografia da série e também os figurinos, detalhes dos cenários e claro a trilha sonora. Eu não vi pontos negativos que possam ser escritos, pois eu que nem ouço quase hip-hop, gostei muito de tudo e ainda aprendi um pouco mais sobre a cultura negra apresentada.

Apesar de ser uma série de drama, alguns personagens e momentos são muito engraçados, trazendo aquele alivio cômico.

761eeeca6eaa28ef758797aab5050b26

Como disse, politica é bem abordada durante os episódios, inclusive até no ultimo episodio. Muitas vezes quem está no poder não consegue entender a cultura de um bairro ou de uma cidade e quer mudar a essência do lugar, mudar a forma de se expressar, como os grafites por exemplo.

Bem parecido com o que estamos vivenciando em São Paulo, não é mesmo?

8309cd45e042b01e2d8c7c98c93f184d

E ai, você vai assistir ou já assistiu? Me conta o que você gostou ou não?

Super beijo.